"Sou grata pela profissão que escolhi, pois me permite promover e resgatar a autoestima, cuidar do bem estar dos nossos pacientes, e oferecer um tratamento humanizado, sempre inovando no segmento da fisioterapia.

Drª Andréa Costa - Crefito 215921-F

SERVIÇOS

Atrofia Vaginal / Síndrome Gênito-urinária da menopausa

Sintomas relacionados com a atrofia vulvovaginal apresentam um impacto negativo sobre a qualidade de vida de até 50% das mulheres na pós‐menopausa.

Na pós‐menopausa ocorre uma constelação de sinais e sintomas relacionados diretamente com a diminuição dos níveis dos hormônios sexuais, em especial dos estrogênios, que envolvem o aparelho genital ou o trato urinário inferior, denominada no seu conjunto como síndrome genitourinária. Ao contrário dos sintomas vasomotores, que tendem a diminuir com o tempo de pós‐menopausa, a síndrome geniturinária não diminui espontaneamente e comumente progride quando os níveis hormonais estão muito baixos.

A síndrome geniturinária da pós‐menopausa (GSM) é um termo que descreve vários sintomas e sinais da menopausa associados com as mudanças físicas da vulva, da vagina e do trato urinário inferior. A GSM inclui não apenas sintomas genitais (secura, ardor e irritação) e sexuais (falta de lubrificação, desconforto ou dor), mas também sintomas urinários (urgência miccional, disúria e infecções urinárias recorrentes).

O tratamento da fisioterapia tem o objetivo de melhorar a vascularização na região genital, melhorando assim a lubrificação local e evitando a atrofia vaginal. Além de fortalecer os músculos da região pélvica evitando assim sintomas da incontinência urinária.

Alguns dos recursos utilizados na fisioterapia são:

• Dilatadores vaginais;

• Reabilitação perineal com biofeedback;

• Cinesioterapia específica;

• Terapia manual;

• Radiofrequência perineal;

• Eletroterapia;

• Laserterapia;

• Dentre outros…

+ Retornar